DICAS DE ILUMINAÇÃO POR AMBIENTE

Uma boa iluminação significa conforto e eficiência, enquanto uma iluminação mal planejada é capaz de desvalorizar e prejudicar completamente o bom funcionamento dos espaços.

Portanto, vale seguir algumas dicas na hora de pensar na posição dos pontos de luz, no tipo de luminária e na cor da luz utilizada, de acordo com as necessidades específicas de cada ambiente:

Iluminação da sala:

A sala é um espaço normalmente multifuncional. Em um momento é hora de ver TV, em outro ela é o espaço de comer, e em seguida é o local para receber visitas. Às vezes é tudo isso ao mesmo tempo. O ideal, então, é setorizar os pontos de iluminação, destacando os móveis e regiões principais separadamente, para que eles possam ser acionados separadamente ou em conjunto.

Sendo assim, o móvel da TV pode receber uma iluminação indireta, que não ofusque a vista das pessoas nem reflita na tela, a sala de jantar fica legal com uma luminária que dê destaque e luminosidade à mesa, de maneira mais intimista através do uso de um pendente ou então de forma mais clean, gerando amplitude, com a luz embutida no forro, por exemplo.

A cor da luz pode ser amarela ou branca, dependendo da intenção que se deseja criar, sendo a branca mais fria e a amarela mais aconchegante, no geral. E algumas paredes podem ganhar destaque através da iluminação, especialmente se tiverem enfeites ou revestimentos diferenciados, para valorizarem o visual da sala

Iluminação da cozinha:

A cozinha é um local de trabalho, a princípio, mas também pode ser considerado um ambiente da área social, especialmente quando aberta para a sala. Portanto é importante priorizar os locais que requerem mais luminosidade, como as bancadas, além de garantir uma iluminação geral nos locais de circulação, já que na cozinha ficamos nos movimentando de um ponto a outro constantemente. Mas essas duas funções podem ser separadas por tipo, cor e intensidade, sendo necessário que ela seja mais forte, mais focada e preferencialmente branca nos locais de manuseio de alimentos, e mais suave, espalhada e amarelada na circulação.

A cor branca é melhor para as bancadas pois ela deixa os objetos mais nítidos, reproduzindo melhor as cores reais dos alimentos. A luz de circulação pode ser branca também, mas se a sala estiver integrada à cozinha e tiver luz amarela, é interessante criar uma continuidade na iluminação através da tonalidade semelhante, pelo menos parcialmente, para não criar um contraste que faz a cozinha parecer muito fria e separada do restante do ambiente.

Iluminação do banheiro:

No banheiro, o espaço costuma ser reduzido porém as necessidades também são variadas. É interessante ter uma luz geral e outra mais focada próxima ao espelho, para fazer a barba ou retocar a maquiagem, por exemplo, e se possível ter mais um ponto que ilumine bem a região do chuveiro. Caso não exista um ponto específico para essa função, é possível improvisar com uma luminária do tipo spot, que direcione uma lâmpada para o meio do banheiro e a outra para o box. As luzes do banheiro devem ser preferencialmente brancas, caso se queira maior eficiência e visibilidade.

Iluminação do escritório:

No escritório, a prioridade é privilegiar o trabalho, com uma boa iluminação próxima à região da escrivaninha, mas sem ofuscar a tela do computador, se houver, nem a vista de quem está trabalhando. E isso se aplica à luminosidade artificial, vinda das luminárias, e também à luz natural, que vem das janelas. Podem ser usadas luminárias no teto ou então luminárias de mesa, que possam ser acionadas separadamente. E a iluminação geral, principalmente se o ambiente for pequeno, pode dar conta do recado sozinha.

Mas nada impede a criação de uma ambientação mais nobre, que deixe o espaço mais convidativo, estimulando a permanência no espaço. O ideal é misturar uma iluminação mais eficiente, de luzes brancas e fortes, com pontos de luz mais suaves e amarelados, criando um certo equilíbrio. Assim o trabalho é estimulado, porém de maneira mais agradável.

Iluminação do quarto:

Para uma ambientação mais intimista e aconchegante, o quarto não precisa necessariamente de uma iluminação geral, e sim de pontos específicos próximos às mesas de cabeceira e dos armários, preferencialmente. E se houver uma luz geral, ela pode não ser tão forte, para ser usada em conjunto com as outras luminárias, deixando assim o aspecto diferenciado.

A iluminação indireta favorece esse ar intimista, assim como as luzes focadas. Esses recursos fazem com que até mesmo a luz branca fique mais aconchegante, permitindo a livre escolha de acordo com o gosto de cada um.

 

Add reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *